Caso da Ilha de Marajó

O que vem acontecendo na Ilha de Marajó? Entenda…

Onde está Localizada a Ilha de Marajó

A Ilha de Marajó está localizada no estado do Pará, na região Norte do Brasil, é um local com muitas belezas naturais e banhada pelo Rio Amazonas. A Ilha de Marajó é conhecida por sua rica cultura e bonitas paisagens.

O acesso à Ilha é por transporte aquaviário, como barcos ou balsa, tendo uma população de aproximadamente 550 mil habitantes, apresenta o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) municipal do Brasil, de 0,418 segundo os dados do IBGE coletados na região em 2015.

Polêmica exposta na ilha

Recentemente foram amplamente divulgados denúncias de exploração infantil na ilha e Arquipélago de Marajó. Apesar das notícias virem a público, esse problema não é atual. Novamente chamou atenção nas mídias nacionais. Esses acontecimentos de exploração de crianças e adolescentes na ilha já se alastra a mais de 1 década.

Com alguns relatos de denúncias, como por exemplo de uma mãe que levava uma menina de 10 anos para uma das balsas, e estava negociando sua filha com um homem pela quantia de r$ 2,40 e um pequeno balde com vísceras de porco ou boi, contado pelo Bispo José Luiz da igreja católica, que trabalhou durante anos na cidade de Melgaço localizado no Arquipélago de Marajó.

A pesquisadora Vitória Letícia vem falando sobre o caso. Segundo Vitória, as maiores vítimas de exploração na região são meninas ribeirinhas balseiras (canoas).

Meninas entre 7 a 13 anos, que vão com o barco para atracarem as balsas e navios maiores que estão passando pelo rio fazendo turismo ou a serviço de algum produtor local como insumos como exemplo palmito, farinhas, entre outros. Sendo aliciadas e obrigadas até por familiares ou por alguém que agencia esse tipo de exploração para realizar serviços sexuais.

Investigação do Poder Público

Em 2019 o Ministério Público do Pará junto com a Polícia Civil realizaram operações nomeadas de “Operação Resgate Marajó”, com isso tiveram ao todo 20 prisões em seis cidades dentro do Arquipélago de Marajó. Essa situação foi tão alarmante que chegou aos órgãos públicos federais.

Em 2010 o tema foi parar no Senado Federal, instaurando uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Foram apresentados 14 projetos para combaterem esses tipos de crimes. Além disso, essa investigação concluiu que entre 2005 e 2009 cerca de 100.000 crianças do Pará sofreram violência devido ao abuso ou exploração sexual sendo 18% delas entre os 6 e 10 anos.

Nova divulgação na mídia

Através de reportagem realizada pela Record em 2017, houve a exposição desta triste realidade da exploração infantil na Ilha de Marajó, foram transmitidos trechos mostrando garotas descendo de um barco em uma canoa e saindo.

Essa é uma situação bem perigosa, mas que acontece com frequência, isso acontece sob a justificativa de realizarem trocas geralmente por comida ou óleo diesel que tem o preço tão caro, inclusive é chamado de ouro negro.

Em outro vídeo que foi feito durante uma investigação policial no Pará, cinco garotas são gravadas perseguindo uma balsa de caminhões, muito provavelmente para oferecer serviços sexuais em troca de alimentos ou diesel, de acordo com a promotora Mônica Freire.

Justiça seja feita

O caso vem sendo amplamente divulgado pela mídia nacional e ganhou notoriedade nas redes sociais, a revolta da população com esses abusos é latente. Espera-se que o poder público haja de forma contundente diante dessa situação que já se alastra há mais de 1 década.

A eficácia dos agentes públicos nessa causa é fundamental. Tanto com políticas públicas para melhorar a vida da população da ilha, quanto em atitudes punitivas e investigações mais contundente diante de uma situação extremamente repugnante, é o que se espera.

 

Leia também : Calor extremo no mundo, entenda!/ Saiba tudo sobre a ONU

Post Comment