Por que os Judeus são prósperos?

Será que todos os judeus são prósperos?

Os judeus foram perseguidos por muito tempo ao longo dos séculos e tiveram que recomeçar por várias vezes. Essa capacidade de se reerguer diante de tantos infortúnios é um exemplo claro de uma cultura sólida, próspera e avançada. Veremos alguns motivos pelo qual tornam  muitos desse povo ricos e notáveis.

Dinheiro não é vilão e sim a solução

Diferentemente de muitas religiões o dinheiro para os judeus não é visto como vilão. O Torá, livro sagrado da religião, ensina a importância de poupar e investir, inclusive descreve detalhes da riqueza dos patriarcas Abraão e Isaque e Jacó.  Há uma palavra em hebraico que define um pouco isso, Kéfera que significa dinheiro e desejo, que é visto como uma coisa só na visão dos judeus.

Cuidam do que tem e investem

Há diversas passagens no Torá sobre a relação de como lidar com os recursos em momentos de fartura ou de escassez. Por isso, a forma tratar dos bens materiais é diferente para um judeu, ele nunca gasta tudo o que ganha. A riqueza acumulada é sinal de grande esforço, habilidade, sucesso e deve ser tratada como benção, que não deve ser desperdiçada. Os judeus sempre cuidam daquilo que possuem, sejam bem materiais ou não, estão sempre em busca de serem prósperos.

Educação é fundamental

Um princípio importante para os Judeus é a educação, os judeus criam seus filhos preparados para o sucesso em todos os âmbitos da vida. A taxa de analfabetismo entre o povo Judeu é baixíssima. Um garoto Judeu aos 13 é obrigado a ler um trecho do Torá em público em uma cerimônia chamada bar mitzvah, culturalmente ainda incentivam seus filhos a fazerem tarefas que o tornem independentes e os recompensam com a confiança, generosidade que é um princípio e meta do Judaísmo. Desde a infância ainda é ensinado a criança a se aperfeiçoar espiritualmente para se tornar um homem bondoso.

(imagem ilustrativa: Judeus estudando)

Espelham-se na sua história

Os judeus são bem tradicionais, e muito do seu sucesso tem a ver com esse conhecimento de sua história. Abraão o patriarca dos Judeus é um exemplo de uma personalidade de generosidade e benevolência. Assim como a inteligência e sabedoria de Salomão. Os Judeus têm uma fé muito interessante sobre o compartilhamento não só de dinheiro mas de informação e conhecimento, para eles quanto mais é compartilhado, mais daquilo você terá, essa cultura dissemina a abundância e generosidade. Os judeus destinam parte do seu dinheiro a doações e se ajudam como forma de cooperação mútua.

Valorização do trabalho

A valorização do trabalho é outro destaque, os judeus valorizam e amam trabalhar. Independente do ofício deve ter excelência no que faz. No Torá, os trabalhadores produtivos são recompensados com grande riqueza, não é à toa que grande parte da tecnologia desenvolvida em Israel, avanços da medicina e bancos internacionais são de judeus. Além disso o Torá também utiliza com frequência a palavra habilidoso incentivando aos Judeu a terem alguma habilidade técnica, fazendo com que haja um interesse pelo desenvolvimento na sua área de atuação.

(Grupo dos amish da Pensilvânia acompanham um judeu ultraortodoxo trabalhando na produção de tefilin, no Brooklyn, em Nova York (Foto: Julie Jacobson/AP)

Os Judeus mostram que são um povo de fé, esperança e resiliência. Diante de todas as perseguições na sua história, desde a escravização no Egito até a barbárie do Holocausto na segunda guerra e todo os sofrimentos passados ao longo dos tempos, se mantiveram firmes e sempre conseguiram se reerguer diante das adversidades.

Essa resiliência se dá a alta capacidade de adaptação entre os Judeus em geral.

Um povo forte que não se deixa abalar diante das barreiras e dificuldades, buscam entre elas soluções e oportunidades. Nem um povo se mostrou mais fecundo no enriquecimento diante da pobreza como os judeus, por isso são considerados prósperos.

Leia também: O porquê da guerra entre Israel e Hamas?

Post Comment